Artigos
25/07/2003 - TEXTOS DOS ATLETAS DA EQUIPE APÓS O REVEZAMENTO DE CORRIDA + NATAÇÃO TOTALIZANDO 105Km EM ILHA BELA

“Amigos, Ha mais de 10 anos que venho fazendo provas e mais provas, fazendo todos os esportes que encontrei pela frente: maratonas, triathlon, todos as aulas de academia, aventura, para-quedismo, esqui, ...e é claro levantamento de copo. Fico pensando o que existe nisto tudo que dá tanta satisfação, a despeito da dor, das bolhas, etc. Acho que o esporte garante que voce nunca estara sozinho, que por mais chata que seja a semana, o final de semana esta garantido: amigos, brincadeiras, desafios, o sol da manha, espirito de equipe.. e muito mais. E este final de semana provou mais uma vez que estou no caminho certo.... muito obrigado a todos voces por mais alguns momentos de felicidade que vao para minha coleção. Abraços a todos.”

Pedro Koppe


“Meus queridos Eu não poderia começar esta segunda-feira sem agradecer a vocês por essa corrida... Sem dizer que tenho muuuito orgulho de fazer parte desta equipe... Sem agradecer pela amizade, pelo companheirismo, pela garra, pela compreensão e antes de mais nada por vocês serem exatamente como são.... Jamais imaginei, que a melhor posição para se chegar em uma competição fosse a última... Foi uma posição tão única, e com um deslumbramento tão grande que, nem o primeiro colocado teve tanta pompa e reconhecimento. Saibam que a cada minuto desta prova, passei a admirar um pouco mais cada um de vocês... seja pela organização e liderança, seja pelo apoio e carinho, seja pela técnica, pela retidão de caráter, pelo amor que dedica ao seu par, pela doçura de dar afeto sem esperar nada em troca, pela garra, pela força, pela bravura, pela bondade.,... É difícil dizer o quanto vocês são especiais. Saibam, que a gente, como me disseram uma vez: Tira suco da vida... O dia nem tinha começado e a gente já estava lá acordando com o sol... e buscando um espetáculo que a maioria não viu, mas que a gente sabe que aconteceu... Aproveitamos cada segundo... cada gotinha de vida que a competição, a ilha, a organização e a convivência nos deram... nestas 11 horas de prova. Tenho certeza que a alegria que sentimos ao cruzar a linha de chegada... foi algo que todos compartilhamos... Passar por todo mundo com os batedores nos escoltando e toda a cidade saindo das suas casas para ver... foi demais... Tenho certeza que a gente vai continuar, assim... superando limites... emanando felicidade... e TIRANDO SUCO DA VIDA..... Vocês são muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito especiais.... Um beijo enorme !!!! Boa semana e até a próxima”

Mônica Picavea


“Grandes amigos, Ratifico todas as palavras da Mônica e vi que algumas pessoas emocionaram-se mais que outras, pelo estilo, pela característica, pela personalidade, etc, mas acredito que todas tiveram uma sensação diferente naquela volta. Para mim, foi uma prova maravilhosa, pois pudemos mostrar a todos que não é só ganhar, pódium, etc. Vale a contribuição de cada um e podem acreditar, todos deram o maximo possível em cada trecho, dentro de seus limites e principalmente, apoiando quando um atleta, por diversas circustâncias, não pode cumprir o esperado, mas cumpriu dentro do que ele podia naquele momento. Felizmente ninguém tirou a ultima colocação nossa, mas chegamos a 2m30 na penultima (que foi penalizada em 1h17m), 5m30 da antepenultima e se tivessemos cumprido nosso planejamento provavelmente subiríamos 4 posições, que não acrescentaria nada ao nosso curriculum, mas chegar em ultimo......... O melhor de tudo é ver que 5 equipes foram desclassificadas (de repente podemos dizer que deixamos 5 ""manés"" para traz, pois erraram em alguma etapa), podemos nos orgulhar de não ter cometido nenhum erro na prova. Uma outra informação é que temos a 3a. atleta mais experiente da prova, portanto temos um pódium sim. Outra classificação importante foi a do Pablo em Castelhanos - 51o. colocado em 75 equipes. Não saiu parciais de cada trecho. Quando enviarmos a carta à Corpore podíamos pedir para fecharmos todos os resultados. Agora vem um pouco da parte administrativa, quem gastou algum valor por favor me envie para poder fazer os gastos. A Anna já pagou o nutricionista, a água - não sei quem pagou, a gasolina dos carros, etc. Um abraço a todos.”

Eduardo Brunetti


“Mônica ... Edu e Equipe Li os comentários de vcs e confesso que também fiquei emocionada com tudo que aconteceu. PARABÉNS A TODOS! Voces demonstraram que as atitudes responderam pela ""força e união"" desta equipela maravilhosa! Confesso que tb fiquei emocionada com tudo que aconteceu. Apesar de eu não fazer parte ""ativa"" da equipe fiquei feliz com a dedicação e carinho com que todos me trataram. OBRIGADA POR TUDO! Quero também agradecer a todos, em especial ao maridão Joel (Te Amo!) pela medalha da VITÓRIA! VITÓRIA SIM!!! Pois pude presenciar o esforço... atavés de cada passada, o cansaço... através de cada gota de suor, a vontade de vencer... através de cada suspiro... a união...através de cada sorriso. Pude presenciar sim ""O CHORO DA VITÓRIA"" Beijos !!!”

Catia Stuque


“Oi Tchurminha, Eu sou uma manteiga derretida mesmo, só sinto não termos dividido as nossas emoções com o Diego (já falei isso para ele ontem) e com o resto da nossa equipe que participou da prova (equipes 1,2,4 e 5) e os amigos pessoais de cada um, eu digo isso porque por mais que a gente queira contar e transmitir tudo o que aconteceu - as nossas emoções, deslumbramentos, espantos, alegrias, felicidade: sempre será pouco. Quando a gente pensa que já viu e sentiu tudo e que nada mais surpreende, aí está para provar o contrário o que nós passamos, sentimos, choramos (eu, né), emocionamos com um final mais que feliz! Tudo o que eu escrever aqui também será pouco para expressar o quanto foi maravilhoso compartilhar com vocês as 12hs que passamos juntos. Para mim foi muito legal eu poder acompanhar de carro os meus queridos atletas e recolher o que sobrava deles, mas em poucos minutos estava todo mundo já pronto para a próxima. E tudo deu certo também graças a nossas incansáveis queridas Izabel e Catia porque sem elas nós teríamos que ir a pé de um PC para outro.............. Obrigada Paulinho por vc ter nos esperado até o fim, foi bom porque vc vivenciou e participou de nossas emoções, assim como o Reginaldo, esposa, filhos, esposa do Pablo e Camilo, obrigada pela força. E o Titão tava lá para registrar tudo isso que falei, obrigada! A todos vocês que nos esperaram, apesar do cansaço de cada um, obrigada por estarem lá na final, vcs não sabem como foi legal ver as carinhas de vocês. Obrigada Brunetti, Monica, Paulinha, Joel, Pablo, Ramon por permitirem a minha participação no grupo de vocês. A equipe 3 jamais sairá do meu coração. É mais uma vitória em minha vida, vitória esta que agradeço a Deus por ter me dado a oportunidade de conhecer a Trilopez e a corrida e através delas conhecer vocês e ainda poder viver os momentos que vivi nesse sábado 24 de maio de 2003. E TÁ FALADO!!!!!!!!!!! Beijocas.”

AnNa MaRiA CoRtÁs


“Olá Pessoal, Podemos comemorar pois atingimos os nossos objetivos ( não ficamos em último, nem em penultimo e todos sobrevivemos). Estou feliz porque todos deram o máximo de si. Não sei vocês; eu estou todo dolorido mas extremamente gratificado por ter completado a prova e o mais incrível é que não vejo a hora de começar tudo de novo. ( Barro Branco, Bombeiros, Rio, Campos....). Abs.”

Caio Agmont


FELICIDADE REALISTA (Mário Quintana) “A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade. Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.”

Texto enviado pelo atleta Pedro Alvarez


“Galera, Valeu!!! O Pedro falou com toda a experiência dele, e eu, com toda a minha inexperiência só tenho que confirmar tudo o que ele escreveu pois foi exatamente o que senti!!! Depois de uma aventura como essa só podemos ter a certeza que estamos no caminho certo e que muita emoção ainda virá pela frente, junto com muito companheirismo, espírito de equipe e amizade!!! Agora temos que fazer a reunião das fotos!!! Pedro, manda mais !!!! Bjo.”

Patrícia de Souza


“Galera, Depois das subidas, choros( só o meu que vale ), emoções e companheirismo não poderia ter sido melhor, um grande abraço a todos. Que tal marcamos uma cervejada.”

Braulio C Oliveira


Algumas coisas na vida não têm preço... “Não tem preço... Ir para Ilhabela com a Mônica dirigindo e a Ana de co-pilota A co-pilota tomar dramin e ainda assim ficar enjoada na viagem A gente pedir para pararem o trânsito na estrada só para o enjôo passar Não tem preço... Chegarem todos na mesma hora na Pousada, mesmo sem ter combinado Sugerir uma pizzaria qualquer e todos acharem legal Não ter notícias do Pablo!!! Não tem preço... Engolir muitos litros de água salgada, mas ter sido chamada de corajosa por ter entrando no mar às 5 da tarde, e sentir-se bem por isso Acabar a perna 2 e, para colocar o tênis, ter pelo menos uns 10 ajudantes Não conseguir nem tirar a touca Ser a lanterninha do grupo e ser lembrada por ter dado o maior pique na chegada Não tem preço... Ser a última equipe, mas ser conhecido por todos, pelo nome Ser a única equipe a fechar todos os PCs e ainda ter a ambulância e a Polícia atrás do corredor Ser a última equipe, e correr com a bateria da prova atrás fazendo todo aquele barulho Ser a última equipe, e ser recebido pela Corpore e pelos transeuntes com tantos aplausos Não tem preço... Correr 2,8 km com muito esforço e ter o Paulinho do lado dando instruções a cada segundo Correr 2,8 km com muito esforço, mas sentindo-se a mais vitoriosa Chegar com a equipe de mãos dadas e abraçarem-se no final Conter o choro de emoção Não tem preço... Ter como equipe a Ana, a Mônica, o Brunetti, o Joel, o Pablo e o Ramon Ter como Presidente da Equipe o Joel Ter como Capitão o Brunetti Ter como apoio a Cátia e a Isabel Não tem preço... Poder sonhar, planejar, realizar e superar-se Algumas coisas na vida não têm preço.”

Paula Gonçalves


“Amigos! Ontem eu fiquei desconectada...nem pude ler os emails. Para mim Ilha Bela foi uma doce surpresa. A empatia da nossa turma foi enorme, o companheirismo, a garra, o espírito de equipe. Eu só tenho a agradecer, e espero ter retribuído a altura. Isto só foi possível porque todos se entregaram realmente à prova. Vocês são muito especiais e eu nao vejo a hora de a gente se juntar de novo !!! Um grande beijo !!”

Stefania Bardeli


“Querido Coach Saiba que a gente também adora você, e agradece de coração por essa oportunidade ... Obrigada pela dedicação... e pelo carinho que você tem conosco... Um beijão !!”

Mônica Picavea


“Pessoal, Sem palavras......... Já estou com saudades. Foi muito legal estar com todos vocês. Mais do que nossa VITÓRIA na Prova ,valeu nossa ""SINTONIA"". Quero agradecer a cada um de vocês, a oportunidade de tê-los como verdadeiros amigos. Agradeço também, todas as palavras enviadas nos E-Mails. Anna, Paula, Mônica, Pablo, Ramon, Brunetti, Isabel, Diego e Meu Grande Amor:Cátia. Beijos à todos.”

Joel Stuque


“Pessoal, desculpem a demora , ontem eu não passei bem o dia todo, mas hoje já estou um pouco melhor. Mas vamos falar de coisas boas, a viagem foi maravilhosa, nossa equipe foi D + !!!!!!!!!!!!!, JÁ ESTOU AGUARDANDO AS PRÓXIMAS PROVAS. Bjs !!”

Melissa Lawrence


“Grande Diego, Tenho que agradecer todo o apoio da Trilopez para a nossa equipe. O prazer de ter superado nossas próprias barreiras, o prazer de conviver com pessoas maravilhosas, o prazer de correr em um lugar espetacular.... tudo isso nos traz uma sensação de felicidade ""que não cabe dentro da gente""... rsrs Um grande abraço.”

Pedro Alvarez


“O dia começou cedo, 3 e meia da manhã já estávamos em pé. Cinco horas e lá vamos nós e a Ana Amaral para a largada, começa a prova. Vamos todos para a pick up, pilotada pelo Júnior, para o posto de troca, o nosso segundo carro de apoio pilotado pela Ana Maria e pela Lucie começa a acompanhar nossa equipe. Tudo corre bem, nosso nadador o Guto Antunes se supera no mar agitado e mostra a que veio, estamos em terceiro até chegar no início do pequeno percurso para Castelhanos, quando somos ultrapassados e caímos para quarto, mas sem perder o espírito de luta e a vontade de correr. A prova começa a se aproximar do final e apesar do cansaço todos se superam, Ana e Graciella mostram a força das mulheres da Trilopez. Nossos corredores, Luizinho (voando baixo), Wilson (sempre constante) e Alaelson (muita garra) nos mantém entre os líderes, o prof. atleta Daniel mantém o ritmo no seu último trecho superando as subidas e a estrada acidentada. No trecho final em que corremos juntos, chegamos de mãos dadas para mostrar nossa união. Após cruzar a linha de chegada muita comemoração, beijos, abraços declarações emocionadas... Um agradecimento especial aos nossos “pilotos” dos carros de apoio, Júnior, Ana e Lucie. No dia seguinte veio a premiação e ainda houve algum suspense porque tínhamos dúvida sobre nossa colocação final, mas terminamos em quarto. Foi uma ótima posição, uma vitória para nós e para o prof. Diego Lopez que se esforçou tanto para formar essa equipe que demonstrou ser verdadeiramente unida e vencedora. Até a próxima...”

Daniel Costa


O PANAMERICANO BRILHOU EM ILHA BELA !!! “Pela primeira vez a Equipe do PanAmericano participou de uma prova de aventuras, graças ao apoio e entusiasmo do seu Vice-presidente Rafael Palladino, que sempre deu a maior força aos corredores e caminhantes da TACOPAN (Turma de Amigos Corredores do Pan). O brilho da equipe que contou com os atletas Adial. Bráulio, Erick, Fernando, Kuniy, Nogueira, Prof. Paulo e Simone, bem como dos apoiadores Francisco e Cristina, se traduz pela sua boa classificação geral que foi 29º do total de 83 equipes. Apesar da inexperiência, o que contou foi o bom planejamento, a coordenação durante toda a prova e a participação com muita garra e responsabilidade dos atletas e apoiadores. Há de se destacar a importante participação do Prof. Paulo, da Trilopez na orientação técnica, na preparação dos alongamentos e aquecimentos antes e depois de cada percurso, e tembém de seu excelente desempenho obtendo a 5ª colocação no trecho de 12Km do morro dos Castelhanos considerado “dificuldade radical”. Como a Equipe PanAmericano foi uma das últimas a dar a largada, vimos com muito entusiasmo os nossos atletas ultrapassarem inúmeros concorrentes nos difíceis e árduo trechos de fortes aclives de todos os 16 trechos da prova. Um parabéns especial ao nadador Erick, que pela primeira vez integrou a Tacopan e participou com muitos méritos os dois trechos de natação. Após esta inesquecível prova, temos certeza de que a Equipe PanAmericano sente – se cada vez mais prestigiada e forte para novos desafios.”

Valdemar Kuniy


“Há 2 anos, eu bebia muito, fumava 3 maços de cigarro por dia não fazia qualquer tipo de exercício físico, dormia mal, comia mal, estava fora de forma, 6 kilos a mais. Enfim, um traste de homem. Decidi que tudo ia mudar na minha vida. Resolvi entrar para uma academia de ginástica, e comecei a fazer musculação e natação. Em 2002, por intermédio do professor de musculação Alexandre Lima, participei de minha primeira corrida. Foi a Maratona de Revezamento do Pão de Açúcar. Depois dessa prova me apaixonei pela corrida e participei praticamente de todas as competições que existiam na cidade de São Paulo. Praticamente todas as corridas da Corpore. Ano passado me associei a Corpore e estou muito feliz com a organização das provas. Sobre Ilha Bela “o paraíso existe”. Ele se localiza no topo da Castelhanos. Quem correu com o número 4, sabe exatamente do que eu estou falando. Quem ainda não fez esse percurso, faça – o da próxima vez. A sensação de felicidade ao chegar no topo da Castelhanos, é incrível. E a alegria de descer é melhor ainda. Vale o ingresso”

Rogério Portela


“Galera, foi o máximo !!! Aprendi muito com esta prova e espero que todos tenham tirado coisas boas dela também. Jacó - você foi o nosso líder, valeu pela ótima organização e pela riqueza de detalhes em seus relatórios e informações. Camilo - você é uma lição de vida. Neusa – Mulher !!! Você é o papa léguas das subidas de Ilha Bela. Tito – O corredor multimídia. Henrique – Meu!!!... aquele restaurante era longe pqp!!!...Mas a comida compensou. Aquele mar tava F... também. Frei – O nosso santo homem. Abraços !!”

Alexander Greif

Vídeos

15/11/2013 - BRIEF MARATONA MIZUNO UPHILL
12/11/2013 - TRILHA x ASFALTO
20/05/2013 - COMPLEMENTOS DA CORRIDA: NATAÇÃO
27/04/2013 - DESAFIO COACHES PHARMATON 2013
15/05/2013 - DESAFIO PHARMATON 2012

Apoios


Atenção Atletas !!

Momentos 2016

  

Roma Comunicação